[sam_zone id=1]

O mistério de Oak Island

Ao longo da costa da Nova Escócia, no Canadá, fica Oak Island, uma pequena ilha envolvida em enigmas. Em 1700, luzes estranhas foram vistas por lá, uma pessoa...

3475 0
3475 0

Ao longo da costa da Nova Escócia, no Canadá, fica Oak Island, uma pequena ilha envolvida em enigmas. Em 1700, luzes estranhas foram vistas por lá, uma pessoa foi investigar e nunca mais foi vista. Depois de alguns anos três adolescentes que pescavam próximo a ilha viram três luzes verdes no meio das árvores foram até a ilha e encontraram um buraco estranho, sugerindo que ali tinha algo enterrado que ficou conhecido como poço do dinheiro.

A descoberta deu início a uma caça ao tesouro que já dura mais de 200 anos, e envolveu dezenas de especuladores, engenheiros e até personalidades famosas, como John Wayne, Errol Flynn e Franklin D. Roosevelt.

Mas o que se esconde nesta ilha? Alguma coisa muito incrível deve estar escondida em Oak Island. Porque a engenharia utilizada para proteger o poço é sensacional e até hoje se mostra insuperável para todos, mesmo com a mais moderna tecnologia existente, ate agora ninguém conseguiu descobrir o que tem lá.

Seria um tesouro pirata, um antigo Fort Knox ou uma relíquia bíblica perdida como a Arca da Aliança? Uma lenda diz que o número sinistro de sete pessoas deve morrer antes que Oak Island revele seus segredos

A Ilha!

Oak Island é uma ilha, aliás, bem pequena, com apenas 57 ha (0,57 km²) de área no Condado de Lunenburg, na parte sul da Nova Escócia, Canadá. Ela seria só mais uma das milhares de ilhas do mundo se não fosse a descoberta em 1795 de um estranho poço.

[map_bank map_id=”5″ map_width=”800″ map_width_type=”” map_height=”400″ map_height_type=”” map_zoom= “12” scrolling_wheel=”true” map_border=”” border_width=”” border_style=”” border_color=”” border_radius=”” show_title=”true”]

O começo de tudo: Os McGinnis
No verão de 1795, Daniel McGinnis com seus amigos John Smith e Anthony Vaughan, ainda adolescentes, avistaram de seu barco três luzes verdes no meio das árvores,  que seguiram e os levaram até o local que ficou conhecido como poço do dinheiro.

No local havia uma depressão circular, em uma árvore, onde em um de seus galhos encontrava-se pendurada uma polia de navio. Tendo ouvido falar dos contos de piratas naquela região, decidiu voltar para casa e retornar para investigar o buraco.

Nos muitos dias que se seguiram, McGinnis com seus amigos, trabalharam no buraco e o que descobriram os deixaram atônitos. Logo abaixo da superfície, havia uma camada de cascalho cobrindo o poço a 3 metros, encontraram uma camada de tábuas de carvalho (madeira típica da Europa) que não tem na ilha nem nos arredores. Continuaram cavando até a profundidade de 9 metros, encontraram mais tábuas e não podendo continuar sozinhos, voltam para casa, mas com planos de retornar suas escavações.

Poço do Dinheiro
Poço do dinheiro

Levou-se oito anos para que os três descobridores retornassem, mas eles retornaram com a The Oslow Company, fundada com o propósito da busca. Começaram novamente a escavar, e rapidamente voltaram aos 9 metros no qual alcançaram oito anos atrás.
Continuaram descendo para 27 metros encontrando uma camada de cascalho a cada intervalo de 3 metros. Mesmo com as camadas, aos 12 metros uma camada de carvão foi encontrada, aos 15 metros uma camada de piche e a 18 metros uma camada de fibras de coco. Nada demais, até que chegou a 27 metros escavados, a mais intrigante prova de que alguma coisa estava enterrada ali fora encontrada: uma pedra com inscrições em um alfabeto misterioso.

Pedra escrita encontrada a 27 metros
Pedra escrita encontrada a 27 metros

Uma das possíveis traduções seria: “Quarenta pés abaixo, dois milhões estão enterrados.”.

Atualmente, estudiosos acreditam que a decodificação está incorreta, pois era muito simples, e que ela conteria a chave para desativar as armadilhas de água dos buracos. A pedra desapareceu misteriosamente em 1919 e nenhum decalque foi feito, somente uma ilustração em uma revista.

Depois de tirar mais uma camada de tábuas de madeira a 27 metros de profundidade, continuaram a escavar. Algo terrível então aconteceu e a água começou a inundar o poço. No dia seguinte o poço estava cheio até o nível de 10 metros.

Bombear não funcionava, então no ano seguinte, um novo poço foi cavado 30 metros mais abaixo. Porém, mais uma vez a água inundou desta vez o recente poço escavado, e a busca foi abandonada por 45 anos.

A descoberta

The Oslow Company  acabou descobrindo sem querer uma armadilha quando rompeu um canal de água de 152 metros, que fora cavado perto da Smith Cove pelos construtores do poço. Tão rápido a água era bombeada, o buraco era novamente preenchido pelo mar. Quem fez o poço queria manter o seu conteúdo em segredo, pois o sistema hidráulico era engenhoso.

oak_island_04

A segunda tentativa

The Truro Company Inicia a busca em 1849. Rapidamente cavaram 26 metros somente para ser inundado. Decidiram tentar descobrir o que há no fundo do poço antes de tentar extraí-lo, a Truro usou brocas. E os resultados foram encorajadoresDepois de um hiato de 45 anos, novos caçadores de tesouros voltam à ilha para tentar encontrar o tesouro.

Aos 29 metros a broca atravessou uma plataforma abetos. Então encontraram 14 cm de cascalho e 77 cm de algo caracterizado como “pedaços de metal”. Depois, 2 metros de carvalho, mais 77 cm de cascalho, 14 cm de carvalho e outra camada de abetos. A conclusão foi logo tirada: teriam perfurado duas urnas cheias de moedas. Quando puxaram a broca, encontraram pedaços de carvalho e cascas do que parecia ser de coco. Numa das perfurações, três elos de ouro foram trazidos pela broca.
Foi descoberto que os idealizadores do poço criaram um sistema de drenagem espalhado por 44 metros de distância da praia que se assemelhava como dedos de uma mão. Cada dedo era um canal cavado no barro abaixo da praia alinhando as rochas. O canal no qual preencheram com muitos centímetros de plantas marinha, e depois muitos centímetros de fibras de coco. O efeito disso é um sistema de filtragem que mantinham os canais limpos de areia enquanto a água podia passar por elas. Os dedos se encontravam no “Poço do Dinheiro” a 152 metros de distância. Mais tarde, investigações mostraram que os canais subterrâneos encontravam o “Poço do Dinheiro” entre a profundidade de 33 metros.

Para a Truro Company, a resposta agora era simples: é só bloquear a água que vem da praia e cavar o “tesouro”. Sua primeira tentativa foi construir uma represa fora da praia no Smith’s Cove, drenar a água, e depois desmantelar os canais de drenagem. Infelizmente uma tempestade assoprou e destruiu a represa antes de estar pronta.

A terceira tentativa

A próxima tentativa de assegurar o tesouro do poço foi feita em 1861 pela Oak Island Association. Primeiro, limparam o “Poço do Dinheiro” até 26 metros. Depois, fizeram um novo buraco a leste do poço com o intuito de interceder o canal do mar. Um novo buraco foi cavado 36 metros sem tocar em nenhum dos canais do mar e depois abandonado.

oak_island_05

Um segundo buraco foi feito, a oeste e a 36 metros de profundidade. Eles então queriam fazer um túnel sobre o “Poço do Dinheiro”. Mais uma vez a água começou a entrar no poço, bem como no “Poço do Dinheiro”. Logo após um verdadeiro desastre: o fundo do poço caiu!
Esse desastre comprovaria que havia alguma saliência no fundo da ilha, e encorajou os caçadores futuros.

A quarta tentativa
Oak Island Treasure Company Iniciou em 1893 com um homem chamado Fred Blair, juntamente com seu grupo. Sua primeira tarefa foi investigar os “poços internos” .

Descobertos em 1878, a aproximadamente 106 metros a leste do Poço do Dinheiro, os “poços internos” aparentam ser buracos escavados pelos idealizadores do Poço do Dinheiro. Talvez buracos de ventilação para a escavação do túnel de inundação, aparentemente interceptando ou passando perto ao túnel de inundação. Em 1897, limparam o Poço do Dinheiro até 33 metros, por onde viram a entrada do túnel de inundação, temporariamente fechado com rochas. Porém, a água encontrou seu caminho e inundou o poço de novo.Oak_island_dig

Tentaram represar a água da Smith’s Cove, dinamitando o túnel de inundação. Cinco cargas foram ajustadas em buracos perfurados perto do túnel de inundação.Adivinha, não funcionou: a água jorrou mais forte do que nunca! Ao mesmo tempo, uma nova amostra foi perfurada com uma sonda no próprio poço. Os resultados foram surpreendentes.

A 38 metros, bateram em madeira e, depois, em ferro. Esse material é provavelmente parte do material que caiu do poço quando ele se rompeu. Em outras perfurações foi encontrada madeira, porém o ferro já não era mais encontrado.
Entre 39 e 46 metros e também 48 e 52 metros uma argila azul foi encontrada, que consistia de barro, areia e argila. Esta argila poderia ser usada para formar uma vedação como o piche que foi encontrado no nível de 15 metros.
A maioria dos achados foi no hiato entre a camada de piche e a superfície. Um domo de concreto foi descoberto. O domo era de 2 metros de altura e 24 cm de espessura. Dentro do domo a sonda encontrou madeira, e após muitos centímetros, uma substância desconhecida. Depois uma camada mole de metal foi encontrada.

Quando a sonda foi trazida outra peça foi unida ao quebra-cabeça: Fora encontrado um pedaço de pele de carneiro curtido com as letras “VI” “UI” ou “WI”. Do que o pedaço de pele faz parte, deram as teorias sobre os manuscritos originais de Shakespeare.

Tentaram perfurar mais buracos com intenção de resgatar o domo de cimento. Mas todos falharam com a inundação.
Em maio de 1899, ainda uma nova e radiante descoberta foi feita: Havia um segundo túnel de inundação! Este era localizado na “South Sore Cove” (cova da Margem Sul). Isso fortaleceu a ideia de que algo foi enterrado ali embaixo e quem enterrou não queria que ninguém chegasse perto do tesouro.
Blair e The Oak Island Treasure Company continuaram cavando novos buracos, perfurando e achando mais amostras, mas nenhum progresso foi feito e nenhuma informação obtida.

 

A quinta tentativa

Triton Alliance Daniel Blankenship começou suas buscas em 1965 e em 1970 fundou a Triton Alliance. Para fugir das armadilhas do “Poço do Dinheiro”, escavou um poço com 72 metros de profundidade a mão, chamado de Borehole 10-X (escavação 10-X), ou simplesmente 10X.

Borehole 10-X
Borehole 10-X

Com a ajuda de seu filho Dave Blankenship e outro caçador de tesouros local, Dan Hanski, eles cobriram o buraco de 2 metros com tubos de aço de tanques antigos da ferrovia.

O túnel 10X afundou e Dan abandonou o projeto quando ficou sem dinheiro.

Antes, ele gravou um enigmático vídeo do que havia lá embaixo. Ele conseguiu ver vigas de madeira, ferramentas antigas, túneis e o que parecia ser baús de tesouro. Em outro mergulho, afirma ter visto um corpo preservado pelas águas frias.

Existe uma conexão entre os 10X e o poço do dinheiro. Se enviarem água em um, bolhas saem no outro, e são os únicos que tem água salgada sobre água doce, algo bastante incomum.

Em dois de Janeiro de 2006, após 40 anos de sonhos frustrados, Dan Blankenship decide fechar seus negócios e colocar a ilha à venda.

Novas tentativas

Em 2007 os irmãos Rick e Martin Lagine compraram a maior parte das ações da empresa que possui o controle de Oak Island, tornando-se donos do local. Durante anos eles investigaram as histórias e reuniram as muitas licenças necessárias para explorar o local.

Em fevereiro de 2013 começaram sua saga na busca, que foi toda registrada pelo History Channel na série chamada “A Maldição de Oak Island”.
Os irmãos contam com a ajuda de Dan e Dave Blankenship, os que cavaram o lendário 10X, ambos moram na ilha. Dan tem 90 anos e fica em sua casa e seu filho Dave teve um derrame, mas nada que o impedisse de ajudar nas buscas.

Locais Especial de Oak Island

Smith Cove Fica a 152 metros e não parece grande coisa, até se descobrir que foi feito pelo homem! Mas por quê? Uma teoria amplamente aceita é que cinco drenos de pedra, como dedos de uma mão foram construídos séculos atrás. Drenos que forneciam água do oceano para as armadilhas que inundaram o poço do dinheiro e mais tarde o 10X.

Quem os construiu? Ninguém sabe. Recentemente, em 2013, os novos donos do local encontraram uma intrigante presa de madeira saindo da água. Seria ela uma armadilha para perfurar os barcos de quem se aproximasse do local?

Para descobrir de onde vem a água que inundou os poços, em 1898 um caçador de tesouros derramou tinta vermelha dentro do buraco e depois bombeou água nele. Para seu espanto, começou a vazar em Smith Cove e em outros locais no lado sul da ilha. Isso provou que não havia somente um, mas dois poços de armadilhas separados, impedindo o acesso ao que quer que exista no interior do poço.

Esses drenos estavam cobertos por fibra de coco – que antigamente foi usada por muitos anos para estabilizar cargas em navios. Neste caso ela atuou como um filtro, para impedir que os drenos entupissem. Só um problema. Os coqueiros mais próximos estão a mais de 2.500 quilômetros de distância, na ilha da Bermuda!

Testes feitos em laboratório confirmaram que a fibra de coco está datada entre 1.400 a 1.600 D.C.

Borehole 10-X Poço cavado por Daniel Blankenship com mais de 2 metros de diâmetro e 72 de profundidade, revestido com tubos de aço de tanques antigos da ferrovia. Fica a 55 metros do “Poço do Dinheiro” e é ligado a ele. Antes de desabar, Daniel mergulhou até o fundo e fez uma filmagem que segundo ele revela ferramentas, caixas e um corpo humano.

 

A Cruz de Fred Nolan Em 1981 esse caçador de tesouros morador de Oak Island, notou cinco grandes pedras em formato de cone em sua propriedade. Depois de medir a distância entre elas descobriu que formavam um cruz perfeita de 219 por 264 metros. No cruzamento dos braços da cruz, Nolan desenterrou uma sexta grande pedra com um rosto humano esculpido nela. Acredita-se que a própria cruz é uma pista, uma das muitas que sugerem que o que está enterrado em Oak Island poderia ser um artefato religioso inestimável.

oak_island_cruz_01

O Pântano: Existe um pântano em Oak Island que muitos exploradores acreditam ter algo estranho nele, como tábuas no fundo. Os novos proprietários, os irmãos Lagina, tentaram drená-lo, mas não conseguiram. Então levaram um moderna sonda para detectar metais e ela detectou uma quantidade considerável de metais não ferrosos. Na hora de ir resgatá-los, não havia simplesmente nada! Uma teoria diz que existe uma caixa misteriosa enterrada nesse pântano.

A Maldição de Oak Island

Existe uma lenda que diz: “Sete devem morrer antes de o segredo ser revelado”. Seis vidas já foram ceifadas desde que o poço foi descoberta em 1795:

1861: um caçador morreu enquanto tentava tirar a água do oceano do poço usando um motor a vapor, foi escaldado até a morte em um acidente bizarro.

1897: Caçador Kaiser caiu para a morte dentro do poço

17/08/1965: Quatro exploradores morreram enquanto cavam poços envenenados pelo gás mortal H2S. Foram: Robert R. Restall Sr., Robert K. Restall Jr., Cyril Hiltz e Carl Craesre. Perto do local, Dan Blankenship ergueu um monumento em homenagem a eles.

As teorias:

Tesouro dos piratas Barba Negra ou Capitão Kidd. Para mim é a menos provável, que piratas teriam a engenhosidade de fazer um sistema tão complexo para guardar seu tesouro…

Esconder os Tesouros da Fortaleza de Louisbourg. O poço foi criado por engenheiros franceses. Será?

Esconder as joias da Maria Antonieta. Pouco provável, mas é uma das teorias.

A Arca da Aliança. 
Tai algo que valeria o esforço e tempo empregados para fazer algo tão elaborado assim. O objeto mais sagrado do cristianismo judaico, que poderia revelar muita coisa.

Ligação com as Obras de William Shakespeare e tesouros Templários: Alguns acreditam que o poço é somente uma ardil, uma distração para as pessoas acharem que tinha algo lá, mas na realidade o tesouro está é no fundo do pântano.

O norueguês Petter Amundsen fez um documentário chamado “Shakespeare: The Hidden Truth” e foi convidado pelos irmão Lagina para expor sua teoria. Ele foi até Oak Island e a sintetizou dizendo que a primeira coleção impressa das obras de William Shakespeare em 1623 foi financiada e supervisionada pelo amigo íntimo do autor, Sir. Francis Beacon – um cientista, explorador e aventureiro, que muitos acreditavam também ser o líder dos Rosa-Cruzes, um grupo secreto de intelectuais com fortes ligações com os templários.

Peter e um expert em Shakespeare analisaram essa primeira versão da obra e encontraram inúmeras pistas, como letras estranhamente maiúsculas, palavras com erros ortográficos, espaçamentos incomuns e até páginas numeradas erradas.

Esse erros levaram ao que Petter acredita ser um mapa do tesouro celestial. Os “erros” levariam a uma série de constelações e uma delas seria Cignus (Cisne – a cruz do norte), que foi usada para representar o próprio Shakespeare.

Usando um mapa global e correlacionando as estrelas, ela vê que a cruz do cisne esta diretamente acima de Oak Island, especificamente na área da ilha conhecida como Cruz de Nolan.

Na verdade não é uma cruz, mas sim uma Árvore da Vida! Ela é composta por 10 pontos, os Sephiroth. Esse símbolo foi adotado pelo templários e mais tarde pelos rosa-cruzes e até mesmo os maçons.

oak_island_arvore_da_vida

Cada pedra a árvore da vida está representada em Oak Island e ele diz que a pedra da “Misericórdia” é mais importante e que ela está bem no pântano. Porque essa pedra? Na última parte de “A Tempestade” ele diz ao público para perfurar a misericórdia.

A teoria também diz o que está escondido em Oak Island. Diz que vários itens foram guardados, livros e especialmente um candelabro: o Menorá do Templo de Salomão saqueado em 70 A.C. – o símbolo máximo da fé hebraica!

oak_island_pedra_01

Que teoria hein! Os irmãos Lagina então decidem testar a teoria de Petter e vão em busca de pedras adicionais que existe na cruz da vida. Eles tentam localizar a pedra chamada “Reino”. Não é que a encontraram? Isso fez os irmãos irem atrás da pedra “Misericórdia”. Primeiro enviam um sonar moderno, que detectou muitos metais. Com base dessa informação e com brilhos nos olhos, contratam um mergulhador, já que a drenagem não deu certo e o que ele encontra? Só uma moeda espanhola: uma mervada. O metal detectado anteriormente simplesmente desapareceu!

oak_island_moeda

 

 

In this article

Join the Conversation